Autora: Mary E. Pearson
Número de Páginas: 406
Editora: Darkside Books
Idioma: Português

Skoob/Goodreads




A história começa no dia dos preparativos do casamento da princesa Arabella Celestine Idris Jezelia, Primeira Filha da Casa de Morrighan. O casamento fora combinado com o Reino de Dalbreck para selar uma aliança entre esses dois reinos. Querendo um futuro melhor do que um casamento arranjado aos 17 anos, Lia, como a princesa prefere ser chamada, foge com sua criada e melhor amiga, Pauline, para Terravin, lar da infância de Pauline. 

"Eu me perguntava como seria ter alguém que me conhecesse tão bem, alguém que olharia direto na minha alma, alguém cujo próprio toque eliminaria todos os meus outros pensamentos. Tentei imaginar alguém que ansiasse pelas mesmas coisas que eu e que quisesse passar o resto da vida comigo, e não porque isso estava em conformidade com um contrato sem amor escrito em um papel. " 

Lá elas são hospedadas por Berdi, uma tia de consideração de Pauline, e passam a trabalhar em sua taverna. Lia assume uma vida completamente nova, tentando deixar para trás todo seu passado de princesa Arabella e construir sua própria história como Lia, apenas uma menina de 17 anos. Porém, em uma noite de trabalho, dois jovens recém chegados ao vilarejo chamam a atenção de Lia e parecem particularmente interessados nela. 

Kaden e Rafe. Um deles é o príncipe cujo casamento fora rejeitado por Lia. Ele decide ir atrás dela para entender um pouco mais dessa jovem que teve coragem de fazer o que ele não teve. Outro é um assassino enviado pelo Reino de Venda para garantir que não haja uma segunda chance do casamento se concretizar. Lia pensa que eles são apenas dois jovens trabalhadores e nós, apesar de sabermos que um deles é o príncipe e o outro o assassino, não sabemos quem é quem. 
Esse livro fez um super sucesso aqui na época do lançamento e muitos youtubers e blogueiros que eu acompanho estavam comentando sobre ele. Eu perdi um pouco o costume de ler um livro logo que ele é lançado porque tenho muitos outros aqui me esperando, mas não aguentei de curiosidade. Estava com um pouco de receio de não gostar também, porque criei expectativas muito altas, mas felizmente isso não aconteceu :)

Fazia tempo que não lia um livro com o clima que esse livro proporciona, meio medieval, meio mágico. Gostei muito de ser transportada para esse universo criado pela autora. Adorei o mistério que tem por trás da criação dos reinos, com suas antigas lendas dos fundadores e o enigmático dom que as Primeiras Filhas podem possuir. Aliás, achei incrível o fato desse dom especial pertencer à primeira filha e não ao primeiro filho. Em muitas culturas e histórias, quem é mais valorizado é o primogênito da família. Além disso, não é necessário que seja uma Primeira Filha pertencente à nobreza, qualquer uma é capaz de manifestar um dom.
O desenvolvimento e a caracterização das personagens femininas são muito bons também, principalmente da Lia. Ela é uma personagem forte e capaz de se adaptar às mais diversas situações e fazer o que for preciso para enfrentá-las e sobreviver, abrindo mão de muitas coisas com que ela está acostumada. Mas nunca da sua lealdade pelas pessoas que ama, especialmente Pauline. Gostei muito de como a amizade entre as duas foi retratada. Acho que falta um pouco nos livros esse tipo de amizade e cumplicidade entre as mulheres. Tô cansada de ler sobre amigas que sempre têm aquela rivalidade entre em si.

Apesar de ter esse lado forte e decidido, Lia não é do tipo que acha que sabe de tudo e pode fazer tudo sozinha. Ela tem suas fraquezas, como todas as pessoas, e está ciente delas. Ela é apenas uma jovem com seus erros e acertos, dúvidas e sentimentos confusos, assim como eu, você e qualquer outra pessoa nesse mundo.

"Certeza? Meu peito estava esmagado com a dor, uma dor tão profunda e real que me levou a imaginar se corações eram literalmente capazes de se partir. Ou seria o medo me perfurando? Pressionei meu peito com a mão, tentando aliviar a pontada que sentia ali. Talvez fosse este o ponto em que seria impossível retornar." 

Fiquei receosa com o possível envolvimento que ela teria com o Kaden e o Rafe, porque detesto triângulos amorosos, mas acho que consegui entender a forma que a história foi conduzida. E não estou dizendo que há nem que não há um triângulo amoroso, isso é por conta da leitura e interpretação de cada um. A própria autora disse em uma entrevista que a situação está mais para uma complicação amorosa do que um triângulo amoroso. E eu posso dizer que depois de terminar o livro, consigo entender o porquê. Claro que ainda me incomoda um pouco o fato de coincidentemente príncipe e assassino serem jovens, lindos e interessantes, mas tô disposta a relevar isso.

Só posso dizer que estou louca para descobrir mais sobre esse universo incrível e os desdobramentos da primeira parte da trilogia. Recomendo muito a leitura e não vejo a hora de ler The Heart of Betrayal!
A edição está super linda, como é esperado da Darkside 
E o livro ainda vem com um pôster/mapa dos reinos e um marcador com a arte da capa, além de ter a fitinha de tecido no próprio livro que funciona como marcador também.