A policial Tessa Leoni matou seu marido, Brian Darby, em legítima defesa. A arma do crime está à vista de todos e os hematomas no corpo de Tessa confirmam a ocorrência. A policial também não fez questão de fugir, ou de arrumar qualquer justificativa para explicar aquele corpo estendido no chão da cozinha, portanto, aparentemente, o que a investigadora D.D.Warren tem à sua frente é o desfecho de uma briga doméstica. Um caso simples.
No entanto, ao abrir o inquérito, D. D. terá uma surpresa: este não é o primeiro homicídio de Tessa Leoni e - afinal - onde está a filhinha de seis anos da policial? Será que a policial Leoni realmente atirou em seu marido para matá-lo? Uma mãe seria capaz de prejudicar intencionalmente sua filha?
D. D. Warren, a experiente detetive que acredita que desvendar um caso é como mergulhar na vida do criminoso, enfrentará mais uma investigação que a levará a uma busca frenética por uma criança desaparecida enquanto tenta encaixar as peças de um mistério familiar que a levará a quebrar os muros do corporativismo policial.

Título original: Love you more
Número de páginas: 416
Autora: Lisa Gardner
Editora: Novo Conceito
Idioma: português 
Gênero: Literatura Estrangeira/Policial




Eu andava enjoada com as minhas leituras e estava quase em uma ressaca literária. Esse livro foi exatamente o que eu precisava para sair dela. Sempre gostei demais de romances policiais e na minha adolescência, tirando Harry Potter, praticamente só li esse gênero. Esse é o quinto volume da série investigativa da detetive D. D. Warren, porém as histórias são bem independentes e não é necessário seguir a ordem nem mesmo ler todos os volumes. Tanto é que eu comprei esse por acaso e porque tava 10 reais e por enquanto foi o único que li, mas já quero outros!

Nessa resenha eu vou apenas expor minha opinião sobre o livro, porque acho que quanto menos sabemos da história de livros policiais melhor fica, então quero contar o mínimo possível. O livro alterna entre o ponto de vista da detetive D. D. Warren e de Tessa e eu gosto muito desse tipo de recurso. Tessa vai nos contando seu lado da história aos poucos e achei incrível como a autora consegue esconder quase que praticamente a chave do mistério durante toda a narrativa. E ela faz isso de forma que não fique enfadonho ou arrastado demais, porque vai fazendo sempre pequenas revelações, mas sem entregar o que está por vir. 

O que eu não gostei nesse livro foi a detetive. Não sei como ela é nas outras histórias, mas nessa ela me irritou muitas vezes. Ela é do tipo de mulher que vive em uma espécie de competição com as demais mulheres, principalmente se forem bonitas. Parece que ela quer ser a única mulher no centro das atenções dos homens com quem convive. E essa birra que ela tem afeta bastante a investigação. Tessa é uma mulher jovem e muito bonita, então desde o começo ela já decide que não gosta dela. Não estou discutindo se a Tessa é ou não é inocente ou se ela é uma pessoa de confiança, mas acho errado a detetive ser tão imparcial desde o princípio, ainda mais por um motivo tão sem fundamento.

Porém, a história é tão boa, que nem a protagonista me tirando do sério fez com que eu gostasse menos desse livro. O mistério e principalmente sua conclusão são muito inteligentes. Eu pensei em mil possibilidades e explicações ao longo da leitura e não cheguei nem perto de acertar. É uma leitura mais do que recomendada!

Quanto à edição, não tenho grandes observações. Eu gostei da capa, apesar de achar que não tem muito a ver com a história, e o título é em relevo. A diagramação é boa e notei apenas um defeito: os acentos não estão no lugar certinha em cima das letras e isso em todas as palavras que são acentuadas, mas nada que atrapalhasse a leitura.